domingo, 21 de setembro de 2014

O analfabetismo continua – Eleições 2014

As eleições estão se aproximando, e percebo o quanto somos excluídos naturalmente da politica, a começar pela educação que jamais nos forneceu qualquer informação a respeito de como funciona este sistema de “negociar” para governar nações, chamado politica, a maioria das pessoas confunde isso com Partidos, que na verdade, faz parte, mas não é a politica em si.

Somos resumidos a acreditar em ideologias e promessas claramente fundadas a partir de interesses pessoais, porem em ações coletivas, esse método nos faz pensar que devemos escolher apenas uma pessoa para “segurar” a bronca de toda a diversidade econômica, social e cultural do país.

Para iniciar, a nossa limitação como leitor começa quando vivemos em um país onde a democracia não permite que você escolha se quer ou não participar das eleições, te obrigam categoricamente, você deve cumprir o seu  “direito” que tem por obrigação, e se não o cumprir é severamente punido, o seu direito de ir e vir é simplesmente bloqueado, a isso chamam de “liberdade de escolha”.  

Mesmo entre pessoas instruídas ou com um grau relativamente respeitado de conhecimento, é difícil conhecer alguém que sabe mais que o básico sobre a politica, e não falo de escândalos envolvendo o dinheiro público, este assunto já é outro, e temos os jornais e noticiários para nos confundir a manipular as noticias como preferirem. Falo sobre os cargos e suas funções, licitações publicas, e como pode e deve ser usado o dinheiro publico, e como os candidatos, se eleitos, podem “vender” o Brasil a qualquer um em troca de um favor politico. A preocupação que quero expor é: como fazemos, nós o povo, para impedir tais gastos, e de quem cobrar esta fiscalização, e como proceder para que as leis sejam aplicadas contra quem as criou!?

Como cobrar atitudes e feitos de alguém como o senador, sem saber qual é o sua função. E os deputados estaduais e federais, até mesmo os vereadores. E as funções do presidente, governador ou prefeito, como são feitos os repasses de verbas? O que pode ser feito para melhorar a vida dos brasileiros efetivamente, sem propagandas ou grandes circos montados na mídia. Por que quando a população precisa de leis especifica, reconhecimento salarial ou qualquer benefício para educação, saúde, segurança ou cultura, os projetos se tumultuam, e quando é para beneficio da classe ou leis de arrecadações, são criados turnos durante a calada da noite para que sejam aprovadas imediatamente?

Estas estão entre tantas perguntam que devem intrigar o eleitor, e são informações como estas que nos são negadas informalmente a partir do modo como a politica é conduzida no Brasil, e isto não é culpa desse ou daquele ocupante do cargo, ou de determinado partido, este é o “sistema” em que a politica brasileira se encaminha há séculos. E quem quiser participar dela precisa seguir esta cartilha, me desculpe, mas eu não consigo mais me iludir de pensar que existe um salvador da pátria, tudo que é feito de melhorias pelo Brasil paga um preço alto para acontecer.

Participar efetivamente das eleições esta muito além de escolher alguns números e apertar confirma, é preciso entender verdadeiramente o funcionamento disso. E como isso acontece? Temos que correr atrás das informações, ler e questionar as fontes, pois muitas podem nem ser confiáveis. Não podemos apenas ir até as urnas como “formiguinhas” doutrinadas por seus lideres e obrigados a escolher aquele que mais alimentou os seus sonhos de ter e merecer uma vida melhor.  

Como podemos ter esperanças em algo que se esconde o tempo todo, que não é claro, apenas prometem e prometem... Simplesmente não é interessante ter um povo questionador, trabalhador e cansado já é o suficiente, pois assim é muito mais fácil de ludibriar.   Esta é a verdade que ninguém quer que sabemos, precisamos trabalhar sempre mais, e ficar bem cansados, querer se distrair e esquecer o quanto a vida é difícil e é um fardo ser um cidadão comum, assim não temos tempo de pensar em coisas como: mudar realmente a realidade que vivemos e melhorar o futuro dos nossos filhos.  

Assim vamos mais uma vez sob o nosso cabresto, acreditar em alguém que diz algo, mas sem perceber que ele não fará nada sozinho, e estão todos amarrados juntos, e que se continuar desse jeito dificilmente este ou aquele candidato adepto de qualquer doutrina, religião ou ideologia conseguirá alguma mudança real. Temos que aprender o que dizer, ler e entender que a mudança precisa acontecer em cada um de nós, para se espalhar e exigir o que merecemos como cidadãos. Abaixo a corrupção, abaixo ao analfabetismo politico. E como diz a musica, “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.”

Texto por:  Grazy Nazario. MTB. 74588/SP.
Saiba mais sobre cargos políticos neste e em outros sites.  
 http://www.sitedobognar.com.br/bognar-em-acao/consciencia-politica/cargos-politicos-e-suas-funcoes/



Nenhum comentário:

Postar um comentário