quinta-feira, 27 de maio de 2010

"EXPERIMENTOS"

Diante de algumas situações é inevitável não existir questionamentos quanto a situações diferenciadas, quando nos deparamos com o “novo” muitos conceitos são sobrepostos impedindo o experimento, mas não digo um experimento superficial ou provinciano, quero dizer o experimento real, absoluto, este essencial eu diria. Admito não é tarefa fácil, mas perfeitamente possível. Passamos pelos portais da hipocrisia, acolhidos por conceitos impregnados e estagnados no mais profundo dos sentidos, mergulhamos no abismo dos nossos pré-conceitos diluindo-os por completo, até sentirmos uma suave sensação de leveza, sejamos mais “puros”, amenos em alguns momentos. Por que não provar mais, pensar mais, sorrir mais... Por que não perguntar mais, ousar ou conhecer mais? Experimentar culturas, apreciar paladares, contemplar novas canções, “vestir” diferentes calçados, diversificar as próprias preferências. Por que não praticar o exercício experimental de liberdade? Façamos rupturas, não sejamos turistas na vida alheia, sejamos visitantes do inconsciente, deixemos nossas marcas através de experiências reais, marcantes e enriquecedoras a ponto de tornar possível perceber que tais sensações sempre estiveram presentes, porém adormecidas durante algum tempo. Somos a chave de nós mesmos, mas é preciso se permitir ao real conhecimento e suas constantes mutações, seus diversos experimentos, sem o “ego” em primeiro plano, mas a diversidade e superação como foco. Nos permitiremos a um êxtase absoluto, sensações múltiplas beneficiarão o mais profundo sentimento nos atingindo a um “Estado de alma”.

Grazy Nazario.

Nenhum comentário:

Postar um comentário