sábado, 5 de março de 2011

Leila Diniz



Dificilmente alguém que viveu entre os anos 60 e 70 não se lembrará da nossa homenageada do dia, Leila Diniz, que não se trata de nenhuma guerreira de armas ou de espadas, mas que também iniciou algumas batalhas.

Jovem e destemida, Leila Diniz deixou a casa dos pais com apenas 15 anos em busca apenas da resolução de seus conflitos internos, mas a tão sonhada liberdade também a acompanhava. No entanto a liberdade almejada por Leila estava além de ter o direito de escolher um marido ou ter permissão para estudar algo, o que Leila desejava podemos chamar de liberdade total e plena de expressão e de atitudes. Protagonista de muitos amores, Leila se permitia o direito de conhecer e viver o amor e a sexualidade com quem quisesse, adepta a liberdade feminina, revolucionou toda uma época chocando a tradicionalidade hipócrita que tenta decidir por nós o que devemos e podemos fazer de nossas próprias vidas.

Em um período de repressão, Leila arriscou-se ser presa, e por muitas vezes fora censurada pela ditadura por dizer muitos "palavrões" ou palavras não permitidas em público (ela deve ter perdido a aula de boas maneiras, rsrsrs). Que bom que Leila existiu, bom que ousou e abriu caminhos para que possamos dizer o que temos vontade, por que embora não respeitem, temos sim vontades e desejos como todos, como os homens.

Leila quebrou tabus ao exibir a sua barriga de oito meses de gravidez de biquini em uma praia no Rio de Janeiro, em seguida amamentou a sua filha na frente das câmeras, chocando novamente a sociedade conservadora... A atriz revolucionária e amante da liberdade morreu precocemente aos 27 anos em um acidente de avião no ano de 1972, foi o fim da vida de Leila, mas não de suas conquistas.


Para saber mais sobre a irreverente Leila Diniz acesse o link: http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_297.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário