terça-feira, 4 de setembro de 2012

Reflexão Essencial


Ainda enquanto menina costumava ouvir de meus pais a importância de averiguar os fatos antes de julgar, e creio que levo essa ideia ao pé da letra até os meus dias atuais.
Fiquei intrigada ao saber sobre alguns incêndios que estão acontecendo na cidade de São Paulo, aparentemente sem explicações o fogo se espalhou rapidamente devorando tudo a sua frente consumindo historias, lembranças, além de móveis e itens básicos de sobrevivência.
No entanto além de me preocupar com tal situação e me perguntar quanto aos motivos reais de tanta coincidência percebo uma atitude lamentável por parte da sociedade em geral, falo quanto a quem não conhece ninguém ou não mora em comunidades e simplesmente ignora, criticam e julgam os moradores de tais comunidades sem ao menos conhecer ou se informar quanto a historia dessas famílias.
Trata-se de julgamentos genéricos como dizer que são todos bandidos, ou que são vagabundos, isto acontece de forma tão simples que chega a ser doloroso de se ouvir. Não é possível que pessoas que tem acesso à informação e bom senso sejam capazes de reproduzir tal pensamento, e pior que isto é difundir tal ideia repassando de modo preconceituoso para as pessoas de seu convívio como jovens e crianças.
Primeiramente não é novidade pra ninguém que um dos piores males da humanidade é a generalização, todos somos unidades e não devemos, nem podemos ser tratados como um todo, em sequencia observamos a falta de humanidade e solidariedade com o próximo, todos tão bem trancados em suas “gaiolas”, olham apenas para o próprio umbigo e representam nada de benéfico para o convívio social, assim quando ouvem noticiam como estas, apenas ignoram, quando não desejam coisas piores para as possíveis vitimas.
Muitas vezes ao comentar sobre a obrigação do Município e Estado em atitudes reais quanto a essas moradias irregulares, que não apenas enfeiam a nossa bela cidade com barracos mal organizados como pensam a maioria,  mas que também são um serio problema para os habitantes que em sua gigantesca maioria não estão felizes com tal situação, afinal quem não deseja uma moradia digna¿ E para onde estão os impostos pagos pela população para estes fins¿
É preciso refletir quanto ao fato de que todos somos pessoas, cidadãos e merecemos dignidade, que nem sempre esta disponível a todos, infelizmente o mundo não é tão justo quanto gostaríamos, mas é possível amenizar alguns efeitos, a começar em não julgar pelas aparências, pensar antes de reproduzir um pensamento preconceituoso ou que desvalide qualquer ação ou pessoa, também é louvável  se enxergar como parte desse processo e entender que quanto mais favelas, maior o descompromisso das autoridades, maiores problemas de convivência social e entenda, isto com certeza chegará a você, de um modo ou de outro.
Os moradores das comunidades não gostam de serem incendiados no meio da noite, e sua grande maioria deseja sim morar em uma casa digna e pagar por ela, não desejam esmolas, mas oportunidades, e existem órgãos responsáveis para que isto aconteça.
A união desejada para que isto aconteça não deve ser somente nas urnas quando vamos escolher o administrador de nossa cidade, mas também no dia a dia eliminando comentários maldosos e preconceituosos de nossa rotina, afinal as favelas não são os únicos lugares que existem pessoas ruins e que roubam, pessoas assim estão espalhadas e se reproduzindo por todos os espaços, é a busca desenfreada pelo bem estar material a qualquer custo, o sistema está atuante para todos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário