quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

BIG BOBAGENS BRASIL !!!

Já se tornou uma tradição entre os brasileiros se reunirem em frente a televisão no inicio do ano para assistir às histórias protagonizadas pelos “ilustres desconhecidos” do programa Big Brother Brasil. Com participantes cada vez mais “polêmicos”, com provas e regras que desafiam a imaginação dos espectadores, o programa atrai cada vez mais a atenção do público que se interessa pelo cotidiano banal de pessoas que “vendem” o bem mais precioso que possuem a liberdade acompanhada pela privacidade, mas que não seriam tanto, não fosse a manipulação comportamental diante das câmeras.

A cada edição é lançada uma polêmica, algo que torne o espectador mais aguçado e preparado para as subsequentes que sempre tentarão ser mais chocantes e indecentes. Enquanto a hipocrisia social discrimina a promiscuidade, aprova deliberadamente mulheres se “vendendo” e se expondo como mercadorias diante da televisão, sob uma cultura machista e permissiva em que mulheres precisam exibir corpos atraentes ao publico masculino para assim terem uma oportunidade de algo após o fim do programa, ou seja, exibir novamente seu material de trabalho. No entanto é necessário esclarecer que nada tenho contra este trabalho, aliás, é possível citar trabalhos excelentes, mas de mulheres com história de luta e batalha, que possuem profissões diversas e que já demonstraram sob vários aspectos que usam seus neurônios para realizar um bom trabalho e não somente uma “bunda”.
Nada de inteligente, ou educativo ou até mesmo cultural é exibido ou demonstrado pelos participantes, é como se antes de entrar o participante fosse instruído a dizer somente bobagens irrelevantes e sem o menor conteúdo teórico de qualquer natureza. Durante a programação do BBB as pessoas são instigadas a serem desleais, desumanas, cruéis, além de priorizar a ambição acima de qualquer valor moral esperado pela sociedade. É este tipo de programação que a maior emissora do Brasil oferece aos nossos jovens e adultos, estímulos de privação de caráter e acima tudo a ambição desencarrilhada frente a uma premiação em dinheiro, afinal vivemos sob o sistema capitalista.

Então eu te pergunto, vale tudo para chamar a atenção? Na ultima festa do BBB, podemos dizer no mínimo que uma das participantes foi molestada, e o pior, não há como negar, o que seria o maior trunfo do programa, tornou-se seu delator, as câmeras gravaram tudo! A covardia, o aproveitamento desnecessário e leviano de um homem sem o mínimo de respeito pelas mulheres e pelo direito de aprovar ou não qualquer ato diante de seu próprio corpo. Temos sim o direito de dizer não! Devemos aprovar qualquer situação que nos envolva. A nossa vontade deve ser ouvida e este é direito garantido pela lei! Não existe método ou meio cultural, ou educacional de qualquer homem ou sociedade que permita burlar a lei. A participante tem todo o direito de cobrar tanto da emissora, que inicialmente tratou o episodio como algo banal, quanto do próprio rapaz protagonista da cena lamentável.

Espero somente que os telespectadores do BBB, enxerguem e reclamem seus direitos e que assim seja apresentada uma programação digna da inteligência dos brasileiros, que não existam somente jogos e brincadeiras que geram discórdia e inimizades, mas que promovam ao telespectador reflexões diante de diversas realidades sociais, culturais, além de outras abordagens de entretenimento. Podemos afirmar que isto não é utopia, a emissora é rica em bons profissionais capazes de oferecer diversas opções de diversão sem ofender a capacidade intelectual do telespectador e isto inclui não permitir atitudes como a do participante desclassificado na última segunda feira. Devido a isso indico aos meus leitores o mesmo que meu admirado escritor Luís Fernando Verissimo: “Ao invés de assistir o BBB, leia um livro, um poema de Mario Quintana, brinque com seu filho, assista um bom filme, vá dormir...”.

Um comentário:

  1. Concordo com a opinião emitida em relação ao Programa da Rede Globo. Este programa, entre os vários lixos já produzidos pela maior emissora do País, é, sem dúvida, o mais degradante. A melhor coisa a fazer mesmo é não assistir e recomendar que amigos e alunos escolham programas mais saudáveis.
    Prof. Valter

    ResponderExcluir