segunda-feira, 18 de junho de 2012

EMOÇÃO VIOLENTA!

Não posso me considerar perfeita ou irrealista, na verdade também tenho, como todos nós, meus devaneios mundanos de maldade ou de ciúmes, a nossa cultura em relação ao “outro” é muito complexa e instável, creio que o ser humano é assim. No entanto também acredito que precisamos de limites, parâmetros são fundamentais para a vida social, o coletivo exige algumas regras, e isto deve ser cumprido para uma boa convivência.

O ultimo crime que chocou o país, o caso do Marcos dono da empresa Yoki, morto por sua mulher em uma atitude, no mínimo, insana e descontrolada, e que está provocando uma serie de questionamentos quanto a vida contemporânea e suas relações amorosas ou de convívio, nos remetem a um estado de alerta quanto aos nossos conceitos. Não estarei mentindo ao dizer que traições e crimes passionais sempre existiram por parte de homens e de mulheres, em maior ou menor escala, o fato é que isto não é uma novidade, o que se aprimora cada vez mais são os métodos e condições em que as coisas se realizam, e os requintes de crueldade e julgamentos que variam de acordo com a visão social atualizada dos fatos.

Mesmo sendo feminista convicta dos direitos da mulher nesta sociedade em constante transição, e acreditando que as mulheres merecem respeito e oportunidades iguais, nada é capaz de justificar um ato de tamanha frieza, se o ser humano é incapaz de controlar as emoções em situações de dificuldades, podemos ser chamados de animais irracionais. Além de ser interessante considerar a ótica capitalista, em que o dinheiro supera sentimentos e respeito, de ambas as partes.

Situações incomuns para a grande maioria como a história do casal, que teve um final trágico, coloca em cheque a confiança depositada no ser humano, na verdade torna-se cada vez mais difícil acreditar nas pessoas e na humanidade sendo capaz de apenas respeitar e amar o próximo como a si mesmo, e amenos tentar respeitar os limites e vontades de cada um, amor é isto, até onde eu aprendi, e aprendo a cada dia com a vida.

Sinto que está escasso o amor próprio, não somos donos de ninguém, e também não podemos viver sob a guarda das vontades alheias, creio que sou um pouco utópica em minhas vontades e sonhos, mas são imagináveis, creio que isso já é um passo importante, afinal como disse Jonh Lennon! “IMAGINE”

Nenhum comentário:

Postar um comentário