sexta-feira, 8 de março de 2013

Desejo Antigo de Mulher!


Desde criança buscava em minha vida que as pessoas respeitassem e ouvissem o que eu pensava, questionamentos como o porquê os homens podiam fazer certas coisas e as mulheres não! Por que os negros eram tratados de modo diferente, por que algumas pessoas eram consideradas bonitas e outras não... Eu queria entender por que alguns eram ouvidos e outros ignorados.

Na tentativa de buscar entender porque a sociedade excluía tantas pessoas, eu escrevia, lamentava, sofria, e até brigava com muitas pessoas tentando fazer com que elas entendessem que uma MULHER desejava fazer coisas além do que determinavam a maioria das pessoas, e nada acontecia, na verdade eu queria escolher o que fazer com a minha própria vida, e em meu circulo de convivência raramente alguém me dava atenção, muitos me chamaram de sonhadora, e sim, creio que sempre fui mesmo, mas não entendia por que tratavam mulheres, negros e gays como se fossem diferentes dos homens “normais”, afinal era assim que eu os enxergavam.

Com o passar dos anos grandes mudanças aconteceram, chorei de emoção quando pude contribuir para a histórica candidatura da Primeira Mulher Presidente do Brasil, quando a Lei Maria da Penha finalmente saiu do papel e pode enfim contribuir com milhares de mulheres, e assim foi com grandes conquistas dos negros, gays, e assim prosseguem as pequenas vitórias das minorias discriminadas, inclusive por membros de seus grupos sociais.

No entanto, hoje percebo que a mudança mais complexa, difícil e essencial é a da sociedade, no caso do machismo, as pessoas precisam aceitar e respeitar que as mulheres têm as próprias vontades e isto acontece de forma individual, é preciso que aconteça dentro de cada um, mas principalmente com as mulheres.

É primordial nos aceitarmos como parte fundamental da humanidade, e sim somos tão importantes quanto os homens! Não precisamos manipular ou dominar nada nem ninguém, precisamos ter opinião, oportunidades, respeito por nossas companheiras e força de vontade. E os homens?  Estes precisam ser amigos, companheiros, jamais concorrentes para uma disputa, queremos caminhar lado a lado.

É claro que somos diferentes dos homens, se fossemos todos iguais não teria a menor graça! O que desejamos é apenas ter o direto de escolha sem sermos julgadas ou estereotipadas de modo machista e ofensivo, e é nas diferenças que estão os grandes desafios de viver e aprender com o próximo.

São tantos os assuntos e questionamentos relacionados ao da internacional da mulher que me embaraço, ainda desejo ser respeitada, não quero e nem preciso de cartilha de bons comportamentos femininos, o melhor para as mulheres são também para os homens, para uma sociedade harmoniosa e respeitosa, os direitos e obrigações são iguais para todos.

E se gostaria de receber flores de um bom cavalheiro? Com certeza! Não sou contra receber flores no dia da Mulher ou em qualquer outra data, sou contra pensar que este gesto comprará as nossas ideias e vontades de viver como merecemos.  Desejo a todas as mulheres muito respeito e admiração, e respeito às diferenças para uma igualdade justa.

Grazy Nazario.

Nenhum comentário:

Postar um comentário