domingo, 13 de outubro de 2013

Criança Moderna!

Quando se fala em sessão nostalgia a minha fase preferida sem nenhuma duvida é a infância, talvez por ter aproveitado muito bem a minha, não me canso de dizer o quanto gostaria de ter 9 anos para sempre, é sim, a síndrome do Peter Pan existe em mim. Mas é claro que crescer é preciso e inevitável, mesmo adorando todas as brincadeiras e vivenciar descobertas, as transformações acontecem com ou sem o nosso consentimento, o grande vilão “tempo” não obedece as nossas vontades, e nos restam apenas memorias.  

Claro que esta fase reflete no adulto que nos tornamos e muitos valores aprendidos na infância nos acompanham ao longo de nossa vida. Sendo assim entendo quando os pais tentam passar para seus filhos o que lhe foi ensinado na infância, é normal tentar repassar para a nova geração o que foi bom para nós. Desde brincadeiras, brinquedos ou comportamentos, assim tentamos estabelecer a todo o tempo o que acreditamos ser o “certo”.

No entanto ao falar, ensinar ou repassar conteúdos, condutas e valores as pessoas se esquecem de que o tempo passou, e não se vive mais na realidade da sua infância, muitas coisas mudaram e sofreram transformações, esta é a lei da vida. E ninguém é obrigado a aprender como você aprendeu ou a gostar das mesmas coisas que você, trata-se de seres que pensam e sentem. 

Na era da tecnologia as crianças não são como as gerações anteriores, o antigo modelo se perdeu na estante empoeirada do tempo em que computadores e eletrônicos ou não existiam ou não era coisa de “gente pequena”. Enquanto na Nova Era este é um publico importante dos fabricantes e comerciantes de eletrônicos e acessórios.

As crianças do século XXI reclamam, questionam seus pais, parentes e professores, e quando as duvidas são não inteiramente esclarecidas perguntam ao novo “pai dos burros” chamado Google. É isso minha gente, os tempos mudaram, e estranho seria permanecer tudo igual, sem novos desafios ou descobertas, como se o tempo não tivesse passado e as coisas não evoluíssem de forma natural.

 As bonecas, carrinhos e brinquedos dos velhos tempos ainda existem e continuam em alta, mas não como antes, as opções estão cada vez mais variadas.  E as brincadeiras acontecem, mas cada vez mais dentro de casa, ainda se brincam de pular corda, pique esconde, entre outras brincadeiras tradicionais, não tem jeito algumas coisas permanecem por que são coisas de criança e ponto final.  

A infância é muitas vezes corrompida, mas não apenas pelas tecnologias que a cada dia alienam e direcionam o comportamento e o pensamento de nossas crianças, assim como a televisão e outros meios, na verdade como dizia a minha avó “moderação e canja de galinha não faz mal a ninguém”. Outras situações como a sexualidade precoce de meninos e meninas cada vez mais influenciados pela ostentação e exemplos “bem sucedidos” de dinheiro fácil e valores distorcidos de amor, amizade e poder. É o capitalismo condicionando e estabelecendo as suas vitimas desde o berço.


 Lamento pelos que por algum motivo tiveram ou tem a infância roubada ou invadida, pois terão  mais chances de se tornar um adulto frustrado.  No entanto acima dos problemas, ser criança é um estado de vida, é ter um misto de criatividade, liberdade e inocência, quem vive a infância como se deve, na verdade tem muita sorte e terá alegria para se lembrar sempre. Mesmo não sendo dono do tempo, mantenha algo de criança em você e a sua essência estará salva. 

Grazy Nazario. 
Mtb: 0074588/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário