sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Arquibancada do Mal!

Os apreciadores do futebol brasileiro infelizmente não estão tendo bons motivos para ir freqüentar as arquibancadas, distante de um bom futebol, a grande campeã dos noticiários é a violência dentro e foras das arquibancadas, a cada dia criando modos de burlar a segurança, torcidas uniformizadas insistem em aterrorizar as partidas de futebol, afastando dos estádios o publico familiar e consolidando a imagem de guerra durante as competições.    

Não é de hoje que os torcedores do bem, ou seja, pessoas que desejam prestigiar o seu time e assistir a uma partida de futebol como forma de entretenimento se exclui deste tipo de diversão, e muitas vezes quando pensam em assistir porque realmente gostam, optam por escolher jogos “menos perigosos”, que são jogos com adversários de clubes pequenos, que geralmente não tem uma torcida grande e violenta.  Levar criança então é preocupação na certa, sem contar que a própria torcida do seu time pode brigar entre si, o que torna o problema ainda maior.

No ultimo clássico entre Corinthians e São Paulo o publico ficou perplexo meio a um jogo de pouco futebol arte, e uma apresentação lamentável de violência gratuita. As cenas se misturavam entre torcedores que provocavam policiais e apanhavam, outros que tentavam fugir da bagunça, além de crianças protegidas por pais desesperados à procura de uma saída.

 Como se fossem gladiadores em suas arenas brigando por ninguém, sem motivo ou razão, os torcedores da “gangue” organizada e uniformizada mais uma vez roubaram cena, fato que somente ilustra a violência ainda existente nos estádios de São Paulo, que se espalha pelo Brasil e demonstra o quanto estamos despreparados para eventos de pequeno porte como um campeonato nacional, imagine para sediar o maior evento esportivo do mundo.

Na verdade enquanto não existirem punições sérias neste país é certo de que nada mudará, o que deveria ser diversão familiar é sinônimo de medo, e os bons torcedores se rendem a covardia de bandos que se importam com uma rivalidade inútil que em nada acrescentam nem a sua própria vida ou a seu clube, trata-se de imbecis desocupados que frequentam estádios dispostos a matar ou morrer.

Ninguém é obrigado a gostar do meu time,assim como eu não preciso torcer pela escuderia que outro defende, cada torcedor com seu hino, a sua camisa e a sua história ama e vibra por seu clube, o importante é apreciar o esporte, e se divertir ou sofrer com as suas glorias e derrotas. Alias são as diferenças e rivalidades que torna o futebol tão fascinante. Com certeza não é a opinião que carregamos sobre um ou outro time que fará alguém mudar de idéia, e o fato de participar ou não de uma torcida organizada não o faz melhor ou pior como torcedor, cada um em sua intensidade contribui para o coro de sua torcida.

O torcedor deve ter o direito de ir ao estádio e sentir a emoção inexplicável de assistir ao vivo o jogo de seu time e não sofrer por não ser unanimidade (como nenhum é). Na era da tecnologia em que nada foge as lentes indiscretas da imprensa, é tempo de justiça, chega de excluir os bons, que os errados saiam dos estádios e não os incomodados com seus erros. Os responsáveis, clubes e organizadores devem ser penalizados para que o exemplo de respeito e civilidade seja cumprido como se deve.


Por Grazy Nazario. – Mtb. 74588/SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário