segunda-feira, 14 de maio de 2012

Virada da cultura?

A virada cultural Já se tornou uma tradição que acontece em lugares estratégicos do centro de São Paulo, além dos lugares direcionados às apresentações culturais. O intuito da programação sugere o acesso e miscigenação cultural e social diante das diversas culturas existentes.

Considerando-me apreciadora das diversas linguagens artísticas e culturais estive presente em alguns pontos em que aconteceu a virada cultural de São Paulo, e a visão perturbadora que encontrei em alguns eventos me fez repensar se eu gostaria de repetir a experiência do ultimo domingo. O Evento patrocinado pela prefeitura de São Paulo promoveu a participação de bons grupos musicais, peças teatrais, standaps, entre outras atrações que muito tem a contribuir para a cultura e entretenimento dos paulistanos, porém mesmo existindo tantos pontos positivos na atração é preciso enfatizar a grande quantidade de problemas gerados por este evento.

Quando eu era criança ouvia muito os meus pais dizerem que “a ocasião faz o ladrão”, e depois que voltei da virada cultural percebi como essas palavras cabiam direta e indiretamente no pacote de oportunidades geradas pela virada. A estrutura, ou a falta dela, é a principal vilã dessa historia, o policiamento nem se aproxima da quantidade necessária para dar suporte para um evento deste porte, além disso, podemos citar as poucas ambulâncias existentes entre outras situações semelhantes. No entanto o que me causou espanto e indignação foi a comercialização livre de bebidas alcoólicas a menores, e o uso deliberado de drogas. E não podemos nos esquecer do grande numero de assaltos que aconteceram durante o evento. Os pais que permitem que seus filhos compareçam nos shows ou em qualquer apresentação se iludem ao imaginar que existirá suporte suficiente de qualquer gênero para alguma eventualidade. A maior cidade do país não comporta tantas pessoas em tantos lugares distintos ao mesmo tempo? Afinal o jovem fica vulnerável, torna-se presa fácil diante do uso de drogas e também de bebidas alcóolicas, além de grande parte do publico de “bem”, serem alvos fáceis de pequenos e grandes roubos que enxergam a aglomeração como oportunidade para praticar seus furtos.

A cultura deve sim ser privilegiada e ser direcionada para a população, porem o modo como isto é oferecido através da virada cultural pouco contribui para este fato, percebi que as pessoas estão mais preocupadas com o livre acesso as bebidas alcóolicas e que medidas simples poderiam ser tomadas, iniciando por um controle rígido das bebidas, principalmente bebidas caseiras, que causou vários problemas de saúde entre jovens e adultos.

Creio que uma organização voltada para a apreciação real da cultura, e não eventos distribuídos para causar esta impressão seriam mais uteis e alcançaria melhores resultados, a arte e cultura não devem ser viabilizada apenas como diversão, deve fazer sentido como parte social da cidade, e as pessoas devem ser conscientizadas disso. É preciso reconhecer e valorizar verdadeiramente nossas perolas culturais.

Um comentário:

  1. Grazy parabéns pelo artigo, penso que a virada cultural já foi banalizada, aliás, nunca tive vontade alguma de participar, imagino eu, que esses programas não deveriam se limitar à um único dia, quando se pensa em cultura tem que pensar num todo, só 24h não é o suficiente, cultura tem que ter sempre....É isso ai.

    ResponderExcluir