sexta-feira, 17 de maio de 2013

A Jóia sem Valor!


Em tempos modernos torna-se tarefa difícil dimensionar e creditar valores, seja valores morais, de serviços ou objetos. Na atualidade tudo tem um preço, mas poucas coisas em possuem valor, e a partir deste pensamento e atitudes práticas que vamos construindo o futuro da nação, a realidade dos nossos filhos e suas subsequentes gerações. 

De modo geral o professor carrega consigo boas referencias, a sociedade entende em partes a sua função social, e uma parte considerável enxerga tal profissão como algo essencial para a humanidade, e é mesmo. No modelo atual de educação a figura do professor não é apenas uma referência, mas é a ponte que liga educandos ao interesse e a busca por conhecimento.

Que a educação vai mal, e que a tendência é piorar não é novidade, mas é preciso mais que reconhecimento dos problemas, além de verbas é necessário real vontade politica e consciência politica da população, esta que muitas vezes é alienada e ludibriada pela mídia de massa que informa apenas o interessante para manter as coisas como estão, afinal toda mudança gera problemas e dificuldades, mas é preciso que aconteça, e sem pressão popular continuará tudo como está.

É revoltante ter que conviver com a realidade de que apenas os que nascem abastados tem o direito a conteúdos educacionais de qualidade, que as escolas e contribuintes da maquina estadual da educação não mereçam o valor devido a sua profissão e responsabilidade social.

A jóia desvalorizada, também conhecida como “professor”, e considerada como peça facilmente substituível e descartável pelos órgãos púbicos responsáveis, é depois do aluno, a principal ferramenta para a evolução igualitária. Não é segredo, nem a descoberta do ano o quanto é importante e primordial os cuidados com a educação, o futuro depende dos “curiosos” e pesquisadores formados agora.

Professores como trabalhadores que lutam por melhores condições de trabalho, melhorias e reformas educacionais, são profissionais lúcidos e conscientes de sua responsabilidade social, servem como estimulo para seus alunos não serem futuros acomodados que se contentam com migalhas diante as responsabilidades impostas e cobradas, são determinados e militantes da mudança e transformação através da educação.

O Ato de participar de uma Greve, quando não se consegue dialogo direto com seus superiores remetem a sociedade muito mais do que a mídia tenta representar, são estes os valores que enriquecem e estimulam os que prosseguem na luta, a possibilidade de contribuir verdadeiramente para a sociedade através da semente da justiça e direitos do cidadão plantados e presenciados por nossos alunos, o verdadeiro futuro do Brasil, afinal os estudos direcionados a estudantes de baixa renda não pode ser baseado apenas em redes sociais e mídia alienadora, a base educacional deve ser mantida sobre conteúdos sérios e relevantes para a realidade e possibilidades geradas para todos.

A sociedade, dona das verdades e julgadora de tudo e de todos deve se manter bem informada para não cometer equívocos, muitas vezes as pessoas sem se dar conta reproduz pensamentos já determinados pelos que se abastecem da opinião publica, é necessário apurar bem os fatos, motivos e condutas reais para que exista cobrança aos órgãos corretos, e que os batalhadores de todos os dias não sejam considerados os vilões da história, vamos valorizar e fazer bom uso de nossas joias, e cobrar os que verdadeiramente desrespeitam os cidadãos. 

Texto por: Grazy Nazario.

Nenhum comentário:

Postar um comentário