quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Dominguinhos do Brasil!





Dominguinhos o grande compositor, músico e cantor engrossa o time de artistas que faz a diferença na produção artística brasileira. Deixa para o seu público um belo repertório musical com letras que circulam entre festas regionais, grandes produções de teledramaturgia e cinema, o artista conta com letras e melodias que conquistaram o publico e contagiou o país com a raiz nordestina produzida e cantada de forma genuína enriquecendo a cultura brasileira.

Fugindo das modinhas musicais, Dominguinhos criou a própria moda na arte de compor e cantar as suas musicas, e o mais interessante permaneceu fiel ao seu estilo. Muitas vezes ilustrando a realidade local destacando pessoas e fatos, as suas canções e melodias cantam e contam a vida como um cordel de rimas e casos reais, e historias inventadas, ou uma mistura das duas coisas com pitadas de pura criatividade.
Apadrinhado por ninguém menos que Luiz Gonzaga, Dominguinhos começou a tocar por volta dos treze anos de idade e continuou o caminho já trilhado pelo seu mestre sem permitir interferências internacionais ou de qualquer outra natureza, assim manteve a raiz local nas suas composições, aliada as suas experiências de viajante enquanto buscava o sonho de viver fazendo musica.

Desde a menina que quer namorar ao grande baião que fervia os bailes de todo nordeste, não é difícil imaginar como e porque o ritmo ganhou tanto espaço neste colossal da diversidade que é o Brasil. O ritmo foi espalhado por Dominguinhos em shows, interpretações por nomes conhecidos da musica brasileira em trilhas de filmes e novelas, sem mencionar os migrantes que nos presenteiam constantemente com sua cultura ao mudarem para as grandes cidades.  

A sanfona de Dominguinhos que faz o corpo se movimentar sozinho encanta o Brasil com composições originais, que além de falar sobre realidade local, transitam entre o amor, a saudade e o sofrimento, como se fosse fácil sorrir enquanto se quer chorar. 

A vida dos palcos não é fácil, mesmo quando é o que se escolhe, e o amor pela arte é algo transcendental que só quem vive poderá explicar, e ainda assim só será entendida por poucos, mas o melhor disso são as obras produzidas e como elas tocam as pessoas, e de que forma cada um encontrará o sentido para a sua realidade, esta é a arte que vale.

O fim acontece para todos e a morte é inevitável, mas ainda assim tentamos procurar algo que nos ensine a lidar com este fato, que diminua a dor da ausência, na verdade creio que o que permanece é o que produzimos durante a vida. Dominguinhos que tanto usou a palavra “saudade” em suas musicas, com orgulho de seu Pernambuco e sua gente humilde nos deixou belos forrós para divertir a animar os amantes e simpatizantes de sua musica raiz, e certamente deixara saudades, como aquela que trazemos na mala quando se volta para o seu aconchego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário