sexta-feira, 26 de julho de 2013

O Papa é Pop!



A visita do Papa Francisco ao Brasil e toda a divulgação do fato demonstra o quanto a representação da igreja católica ainda é expressiva, as pessoas católicas ou não se interessam em saber sobre o assunto e se atentam ao que o líder católico tem a dizer. A simbologia que carrega a presença do Papa e suas bênçãos comove a nação, sem mencionar o carisma natural do Pontífice, que proporciona reflexões que ultrapassam as barreiras da religião. 

É interessante conversar com pessoas que não conseguem relacionar a visita do Papa ou a religiosidade com o seu dia a dia, como se não percebessem, e por muitas vezes não percebem mesmo a importância do domínio e liderança do Papa, e como isso se reverterá para os fieis e para a humanidade.

A ausência de crença desestabiliza não somente as pessoas, mas desencadeia o descontrole de uma nação, os lideres religiosos são tão importantes quanto os lideres políticos, claro que não podemos comparar o poder da atual igreja com o período medieval em que a igreja era o centro de tudo. No entanto é preciso entender que politica e religião estão entrelaçadas juntamente com outros aspectos da humanidade, é como uma ciranda em que um assunto está ligado ao outro, e quando a religião se coloca na liderança, seus êxitos são alcançados pelo poder da fé.

Em plena Ascensão da tecnologia digital em que as pessoas se comunicam cada vez mais por seus computadores ou meios eletrônicos, soa até estranho perceber esta carência afetiva, são tantos os elogios direcionados a simplicidade e proximidade do Papa que ascende até uma chama de esperança de que as pessoas não estão assim tão avessas ao afeto, e que os períodos de transição em algum momento se tornará mais sereno, afinal as mudanças são constantes, mas transformações bruscas tendem a causar momentos tempestuosos na humanidade, e isto se reflete no cotidiano das pessoas.

Os jovens citados pelo Papa, ponto forte por se tratar da jornada mundial da juventude, transparece uma vontade não apenas da igreja, mas de todos, afinal quem não almeja a tão sonhada paz, o respeito entre os homens, os direitos iguais... 

O Papa Francisco é na verdade mais que um símbolo de paz e fé, é a esperança que a humanidade precisa para acreditar em algo além do palpável, como dinheiro, bens ou qualquer objeto de valor.
O novo líder da igreja católica, que poderia ser símbolo da ostentação gratuita de objetos valiosos, decidiu não se comportar assim em uma realidade carente de materiais de sobrevivência básica. No lugar disso distribui afeto, generosidade e simplicidade, partindo dos mandamentos de Jesus de “amar o próximo como a ti mesmo”.
 
O Papa Francisco não é apenas um líder católico, mas um cristão que partiu em uma missão, e o seu modo de lidar com as pessoas agrada e estimula através de seus gestos espontâneos certa vontade de acreditar, aceitar e melhorar a própria vida e ajudar ao próximo pregando a generosidade, como acontece com jovens que abre as portas de suas casas para outros jovens desconhecidos que acreditam na mesma ideia, a Palavra de Deus. O Papa é Pop, popular por suas condutas simples e de pregar através do afeto o amor ao próximo. 

Texto Por: Grazy Nazario.

Nenhum comentário:

Postar um comentário