quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Nelson Mandela

A história de um homem fala por si, a imortalidade de alguém está inserida em suas ações, pois são os seus combates, glorias e derrotas que determinam o seu valor, os resultados e quais objetivos foram alcançados. Muitas palavras podem ser escritas, homenagens com grandes personalidades, ou depoimentos, mas nada será tão valido quanto a liberdade conquistada, a palavra ouvida e a sensação de dever cumprido.

Tantas são as qualidades citadas e exaltadas após a morte de Nelson Mandela que se torna difícil não ser repetitiva, mas o que é verdade merece ser dito e os méritos reconhecidos. No entanto é interessante presenciar após a sua morte membros da mídia, e outras personalidades  praticar a hipocrisia Capitalista para vender noticias, uma vez que Nelson Mandela e seus ideais igualitários jamais agradaram a quem lucra e usufrui das diferenças.

 Em combate com tais ideias reconhecidas hoje como legitimas, o grande líder Sul Africanos teve a audácia de combater mais um entre tantos sistemas de opressão aos negros, o Apartheid. Mandela não era apenas mais um revolucionário, mas era um idealista, teimoso e perseverante que usou como o seu maior aliado a tolerância.

Distante da ideia de tornar o líder Sul Africano um “santo”, creio que a sua maior qualidade esta no modo como ele conduzia o seu povo e como prezava o trabalho coletivo contra os seus opressores, longe de ser hipócrita Mandela fez uso de armas e executou combates quando julgou necessário, e é isso que transforma uma pessoa comum em um líder, o poder de decisões e direcionamento de ações.

A dimensão da bondade de Mandela sempre foi algo “estranho”, afinal em uma sociedade que valoriza ações individuais e baseia o sucesso no capitalismo, a bondade e o perdão são estranhíssimos, o comum seria apenas a vingança e revolta, mas Nelson Mandela pregou o bem para o seu povo, a aceitação das diferenças e um arco íris de cores e nuances de pele priorizando o fator humano e a união e melhorias para todos.

Como homenagear, comentar ou idolatrar alguém que não se sentia diferente, que prezava o trabalho coletivo e desejou apenas a igualdade entre brancos e negros, e mesmo após ser preso e condenado por atos que buscava a justiça social entre as raças foi condenado e preso por 27 anos perdendo valiosos de sua vida, mas foi diante dessa realidade que ao ser libertado e eleito presidente usou como arma de combate o Perdão.

Mandela não é apenas um exemplo de liderança, mas uma referencia de perdão e tolerância em tempos que a maldade acontece como algo natural e a crueldade é banal. A dor tão forte e opressora cedeu lugar ao inicio de vitorias e paz para quem fez de sua nação a sua família. O homem, o líder ou o politico Nelson Mandela se foi, mas o legado de seus ensinamentos permanece, assim os seus significados serão multiplicados e disseminados como a semente da liberdade e do amor ao próximo.


  Grazy Nazario. MTB. 74588/SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário