domingo, 21 de outubro de 2012

Ao mestre com carinho, e gratidão


Nesta semana dos professores vivi uma seção de nostalgia, talvez o fato de estar inclusa neste quadro alimentou um pouco esta ideia de pensar na importância deste profissional mais que essencial em nossas vidas.

 Ainda me lembro da minha primeira professora, seu nome era Elza, no meu primeiro dia de aula, revejo em minhas lembranças o medo que senti naquela manhã da professora japonesa que falava rápido e tentava controlar uma sala de aula com cerca de quarenta alunos na escola estadual em que estudei.

Naquele tempo, que alias nem faz tanto tempo assim, o professor era alguém mais que respeitado ou admirado, os professores eram idolatrados, não que isto seja bom ou ruim, não penso ser necessário fazer bajulações para alguém por exercer a sua função de trabalho e contribuição para o quadro social de uma nação, mas o respeito empregado a tal profissão, e o legado construído a partir disso realmente era visto como algo valioso.

Não consigo entender ou dimensionar o desinteresse atual de grande parte dos estudantes, em algumas tentativas me arrisco a dizer que entre os motivos está a revolução digital e tantas outras transformações acontecendo neste século XXI, enquanto o nosso ensino ainda esta no século passado, e que incentivos reais  de diversas naturezas também seriam bem vindos, além de detalhes importantes como a mudança de modelo familiar, apelos das mídias visando apenas o capitalismo, entre tantos outros fatores não menos importantes.

O fato é que a relação entre professores e alunos mudou radicalmente desde que fui alfabetizada por minha querida professora Elza, que me ensinou o Beaba, aguçando a minha curiosidade de ler e aprender, e que mesmo sempre chamando a minha atenção por eu ser uma aluna faladeira me incentivou ao amor à escrita e a leitura, que hoje realizo com prazer.

Sou grata não somente a quem me ajudou nos primeiros passos nesta brincadeira de expressar com palavras as alegrias, tristezas, experiências e sabores da vida, sou grata a cada professor que gostou ou não de meus trabalhos, ou do meu comportamento, que me criticou ou chamou minha atenção em varias situações, mas que esteve comigo contribuindo para a construção de cada pedaço do que me tornei, e me torno a cada dia.

Tenho certeza que cada um de nós tem seus professores favoritos e outros nem tanto, mas que conseguimos reconhecer a importância até dos mais implicantes em nossa jornada existencial. Creio que devemos ter em nossas mentes que todos somos um pouco professor e eternos alunos de nossas vidas, e que o aprendizado é infinito e é a única coisa que nos pertence de verdade.

 E mesmo diante da crise educacional que estamos vivendo sei que colheremos bons frutos, acredito de verdade no futuro da nação. E só para constar, esta perseverança que por vezes transborda em minhas palavras e condutas também foi algo plantado por alguém, advinha quem ?

Professores, Obrigado sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário